Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility Ir para conteúdo
Lourinhã colabora na reabertura do Museu Nacional do Rio de Janeiro com oferta de espólio
Município

Lourinhã colabora na reabertura do Museu Nacional do Rio de Janeiro com oferta de espólio

26 outubro, 2021

O presidente da Câmara Municipal da Lourinhã, João Duarte Carvalho, recebeu Alexander Kellner, director do Museu Nacional do Rio de Janeiro, que se deslocou à Lourinhã no âmbito de uma campanha que está a fazer no nosso país com o objetivo de enriquecer o espólio do espaço museológico que está a ser reconstruído depois do incêndio de enormes proporções que ocorreu em 2018 e que destruiu, para além do edifício histórico do Museu, a quase totalidade do acervo histórico e científico, construído ao longo de duzentos anos e que abrangia cerca de vinte milhões de itens catalogados.

Esta reunião foi promovida pelo GEAL - Museu da Lourinhã, que foi contactado nesse sentido pelas autoridades portuguesas, primeiro através do corpo diplomático português no Brasil. Na reunião, o presidente da associação lourinhanense, Vital do Rosário, explicou que o Museu Nacional do Rio de Janeiro pretende receber, a título de empréstimo ou definitivo, achados paleontológicos que permitam enriquecer o seu acervo científico, de um espaço que deverá ser inaugurado em 2026.

Nesta reunião participaram ainda representantes do Dino Parque da Lourinhã, empresa que manifestou também interesse em apoiar esta causa, assim como a Câmara Municipal da Lourinhã.

O professor Alexander Kellner é também um paleontólogo de renome internacional e, nesta sua passagem pelo nosso concelho, visitou o Museu da Lourinhã e o Dino Parque, estando também no programa uma visita às arribas da Praia do Caniçal, onde foi recolhido um pterossauro, um réptil voador do período Mesozóico.

Cumprindo uma tradição do GEAL - Museu da Lourinhã, sempre que a vila é visitada por um paleontólogo de renome internacional, foi plantada uma árvore no jardim defronte dos Paços do Município.

O Museu da Lourinhã vai disponibilizar algum do seu espólio ao Museu Nacional do Rio de Janeiro que, na sequência de um incêndio em Setembro de 2018, perdeu todo o seu acervo. 

Fonte e fotos: Jornal Alvorada/RCL99FM