Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility Ir para conteúdo
Município da Lourinhã recebe equipas de investigadores internacionais no âmbito da futura Rota da Pedra à Cal
Município

Município da Lourinhã recebe equipas de investigadores internacionais no âmbito da futura Rota da Pedra à Cal

20 outubro, 2022

Entre 10 e 12 de outubro, o município da Lourinhã recebeu uma equipa de dez investigadores nacionais e internacionais, representantes de entidades como o Digital Research Infrastructure for the Arts and Humanities e o The Cyprus Institute e o UDigiSH, para discutir o potencial das memórias da população, com vista à preservação do património histórico, natural e tecnológico associado à cal. Este encontro incorpora o projeto “Caixinha da Memória”, projeto de caráter digital (app) para a ciência cidadã, que apoia a recolha de dados, a consulta e a intervenção da comunidade, bem como o contributo ativo da mesma para a criação da futura rota “da Pedra à Cal”.

Resultado de uma colaboração efetiva com o aspiring Geoparque Oeste, o projeto conta com a parceria do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, do Centro de Estudos Históricos da Lourinhã (CEHL) e da Universidade Lusófona, promotora da reunião e da mesa-redonda, aberta à comunidade lourinhanense, projeto com financiamento europeu, inserido na linha de investigação “Dynamics of Placemaking”.

Durante os dois dias os intervenientes participaram de várias mesas redondas e realizaram visitas de campo pelos possíveis pontos estratégicos da rota no concelho, concretamente em Reguengo Grande, Santa Bárbara, São Bartolomeu dos Galegos e Moledo e Ventosa.

Sobre a “Caixinha da Memória”, trata-se de uma app com download gratuito, criada para que toda a população possa contribuir com as suas memórias relacionadas com a pedra calcária e a cal. Para tal, basta descarregá-la em dariah.eu e fazer o login. Na aplicação é possível partilhar textos, imagens, vídeos e arquivos de voz.

Esta ferramenta digital vem contribuir para o objetivo principal do projeto “da pedra à cal”: reconhecer, em primeiro lugar, as necessidades, os valores, as histórias, as memórias, os saberes e os modos de vida das pessoas que ali vivem e trabalham, criando recursos que aumentem a qualidade de vida da comunidade local e com isto adicionar valor local e único ao roteiro turístico.